Rio de Janeiro: Círculo do Livro, 1979.
O Oriente é Vermelho

O Oriente é Vermelho uma chave para a interpretação do que vem ocorrendo no mundo vermelho de Mao Tsé-tung, cujas nuances próprias e essencialmente chinesas são, no entanto, de suma importância para a caracterização dos rumos do comunismo internacional.

O retrato da nova China nos é fornecido no momento mesmo de importantes transformações sociais e políticas, ocorrendo desde 1976, que são aqui analisadas pelo autor à luz de muita documentação e de sua estadia no país.

Embora seja político, este não é um livro sectário. Trata-se de uma grande e inteligente reportagem isenta sobre uma das nações mais importantes do mundo, com a qual, hoje, o Brasil deseja manter e ampliar relações econômicas.

"Podemos conhecer todo o mundo
sem nunca ter viajado.
Sem jamais ter olhado através da janela
podemos ver o Caminho do Céu.
Quanto mais distante se vai, menos se sabe."
Lao-tsé


"E com os anos, a não ser a China,
tudo na terra passa..."
Eça de Queirós


 
 
Entre 1979 até 1982 saíram notas, matérias, críticas sobre o Oriente é Vermelho nos seguintes jornais, revistas e publicações.